segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Bruno Schmidt volta à faculdade e busca se reinventar


Quem estava acostumado a ver Bruno Schmidt e Alison no alto do pódio tomou um susto nesta temporada de 2017. Campeões da Copa do Mundo em 2015, ouro na Olimpíada de 2016, vencedores do Finals de 2016 e detentores do título do Circuito Mundial de 2015, os brasileiros tiveram um 2017 sem grandes resultados. Na Copa do Mundo, eliminação precoce nas oitavas de final, e, na classificação geral do Circuito, a sétima posição. Aos 31 anos de idade, Bruno aproveitou a menor intensidade de competições na temporada para voltar aos tempos de faculdade:

Bruno Schmidt foge do bloqueio adversário
 

"Voltei a cursar a faculdade de direito pela baixa da competição que estamos tendo. É um prazer que eu tenho a parte acadêmica. Tinha trancado um bom tempo, uns cinco anos. Depois que botei em pauta o ciclo olímpico, não queria que nada interferisse. Mas como foi um ano de ressaca, as competições foram menores, então vi a possibilidade de voltar a fazer uma coisa que eu gosto muito", disse.

Bruno está no oitavo período e vê no direito uma hipótese de carreira em um futuro não tão próximo, mas que uma hora irá chegar:

"Penso para futuro, não tem como jogar vôlei de praia para sempre. Tirando o vôlei de praia, essa é a ideia. É uma coisa pessoal, tomara que cresça quando o vôlei de praia baixar um pouco na minha vida. Ainda não sei a área do direito, um passo de cada vez, vou agir e sentindo onde a onda estiver crescendo para mim", disse Bruno.

 

Bruno Schmidt Mundial de vôlei de praia
 

Em 2017, o título da Copa do Mundo de vôlei de praia ficou com o Brasil. Evandro e André saíram com o título. No Circuito Brasileiro, a dupla campeã foi Saymon e Álvaro Filho. Bruno explica os resultados um pouco abaixo do esperado dos atuais campeões olímpicos:

"A gente tinha planos de pisar no freio, nunca tinha pisado. Meu ombro estava começando a sentir. Quando não faz uma pausa necessária, seu corpo começa a sentir. Foi importante para gente se reerguer, planejar, analisar...", comentou.

Mas Bruno não tem dúvidas que, em 2018, as conquistas estarão de volta:

"Eu e Alison somos competitivos, a gente não gosta de perder né? O bacana é que nem terminou o ano e já estamos pensando em voltar a treinar, voltar a forma. Isso que é o importante. Se tivéssemos emendado tudo, talvez a gente não tivesse motivação", pontuou.

A próxima competição de Bruno e Alison será em janeiro, na volta do Circuito Brasileiro. Em fevereiro, já haverá a disputa do Major dos Estados Unidos, na Flórida, válido pelo Circuito Mundial.

domingo, 19 de novembro de 2017

Evandro e André são campeões da etapa de Itapema

 

Foi um jogo tenso, com muitas alternâncias de placar. Teve set definido por grandes passagens no saque, outro por bloqueios precisos, e um tie-break marcado por ataques potentes. Ao final de três set, a maior regularidade e a força bem aplicada nos golpes de Evandro e André Stein fizeram a diferença para a conquista da etapa de Itapema, a terceira do Circuito Brasileiro de vôlei de praia 2017/2018. O título veio com vitória sobre Pedro Solberg e George, por 2 sets a 1, parciais de 21/19, 20/22 e 15/13.

- Na última etapa terminamos em quinto, e queríamos muito encerrar com um pódio. Até para coroar todo trabalho desenvolvido. Foi um ano espetacular com títulos do Campeonato Mundial e do Circuito Mundial, então viemos focados. Nunca tínhamos vencido Álvaro e Saymon, fizemos um bom jogo contra Pedro/George, na final, outra partida consistente. Então só posso agradecer. Minha equipe, meu parceiro, família e amigos - disse André Stein.

O terceiro lugar do masculino ficou com Álvaro e Saymon, que derrotaram Vinícius e Luciano por 2 sets a 0 (21/13 e 21/16). Entre as mulheres, Maria Elisa e Carol foram as campeãs. A elite do vôlei de praia nacional só volta a competir no circuito em 2018. A próxima etapa do calendário será apenas no dia 23 de janeiro, em Fortaleza, no Ceará.

Jogo muito equilibrado do início ao fim

O placar do primeiro set refletiu a capacidade das duplas em encaixar grandes saques. Pedro Solberg foi o primeiro a se destacar no fundamento, levando a dupla com George a ter 5 a 1 de vantagem. Os rivais foram diminuindo a distância no placar aos poucos e conseguiram uma arrancada impressionante quando Evandro emplacou um serviço arrasador. Com aces ou pancadas que dificultaram muito a armação adversária, os campeões mundiais viraram para 14/9. A sequência só foi interrompida porque a arbitragem assinalou um pisão do bloqueador carioca na rede.

A emoção cresceu com mais uma passagem importante de Solberg no saque. O filho da ex-jogadora Isabel quebrou a recepção rival e, ainda correndo para bloquear, chegou ao empate em 17 pontos. O placar seguiu parelho daí em diante, mas André Stein, atacando afastado da rede, conseguiu selar a diferença mínima para fechar a parcial: 21/19.

André se destacou no bloqueio e no ataque (Foto: Angélica Luersen/MPIX/CBV)

 

O segundo set começou mais parelho e também apresentou muitas alternâncias no placar. Em bloqueio de Solberg, o terceiro dele no jogo até então, a dupla com George abriu pela primeira vez dois pontos na parcial (6/4). Mas uma nova virada deixou Evandro e André na liderança. A margem chegou a três pontos (10/7), mas foi sendo descontada até Solberg e George, com boa sequência de contra-ataques, retomarem a dianteira e abrirem vantagem. Os dois tiveram dois set points salvos por Evandro e André. Na terceira chance, o bloqueio de André foi para fora, e o empate em sets levou ao tie-break: 22/20.

O set de desempate foi ainda mais disputado e tenso do que os anteriores, com ataques muito potentes de ambos os lados. Em bloqueio de André, o quinto dele na partida, a dupla com Evandro abriu três de vantagem (7/4). O técnico Renato França pediu tempo e seus comandados ensaiaram uma reação, mas não conseguiram tirar toda a diferença. Evandro até desperdiçou um match point ao sacar para fora, e George salvou outro com a sorte de a bola tocar na fita e pingar na quadra adversária. Na virada de bola, Evandro soltou o braço para selar a conquista do título: 15/13.


Livre de vírus. www.avast.com.

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Parque Olímpico receberá as finais do Mundial militar de vôlei de praia


A segunda edição do Mundial militar de vôlei de praia, que começa nesta quarta-feira (8) nas dependências do CCFEx (Centro de Capacitação Física do Exército), terá as finais realizadas nas dependências do Parque Olímpico da Barra da Tijuca, no próximo final de semana. No sábado (11), acontecerão as disputas das semifinais, enquanto as finais estão marcadas para domingo (12). As partidas vão ocorrer em arenas montadas nas quadras externas do tênis.

Medalhista olímpica na Rio-2016, Ágatha disputará o Mundial militar assim como Duda
 

O Mundial, que integra o calendário do Conselho Internacional do Esporte Militar (CISM, da sigla em inglês), reunirá mais de 50 atletas representando a Alemanha, Brasil, China, Holanda, Irã, Jordânia, Letônia, Palestina e Sri Lanka. O Brasil será representado por destaques do vôlei de praia nacional, como os medalhistas olímpicos Bruno e Ágatha, além das campeãs do Circuito Mundial, Larissa e Duda.

Publicidade

Para o diretor do Departamento do Desporto Militar (DDM), do Ministério da Defesa, almirante Paulo Zuccaro, o Mundial serve para mostrar que o trabalho de apoio das Forças Armadas ao esporte de alto rendimento do Brasil continua a pleno vapor.

- Desde 2008, temos conduzido um trabalho mais sistemático de apoio ao esporte nacional e muito disso se viu na Olimpíada Rio-2016, mediante a conquista de 13 das 19 medalhas que o Brasil pode obter - afirmou Zuccaro.

O campeonato marcará ainda um novo ciclo de preparação dos atletas militares para Tóquio-2020. Antes, eles ainda irão competir nos Jogos Mundiais Militares da China, em 2019. Além dos medalhistas olímpicos, estarão representando o Brasil no evento a dupla Evandro e André, que estão em primeiro no ranking mundial da modalidade.

Primeiros treinos

Nesta terça-feira (7), as equipes militares testaram as instalações das quadras do CCFEx. O alemão Alexander Walkenhorst, irmão da medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos Rio-2016, Kira Walkenhorst, declarou que a quadra está em ótimas condições e que será um prazer disputar esta competição no Rio de Janeiro e contra as fortes duplas brasileiras.

Já Vents Graudins, da Letônia, afirmou que é muito importante que eventos deste porte aconteçam para que o vôlei de praia militar seja cada vez mais valorizado. Ele ressaltou o nível técnico dos atletas brasileiros e mencionou a importância de ter os melhores atletas do mundo disputando o campeonato.

domingo, 17 de setembro de 2017

Larissa e Talita vencem etapa de Campo Grande e saem na frente no Circuito


Larissa e Talita vencem etapa de Campo Grande e saem na frente no Circuito

Por SporTV.com, Campo Grande, MS

O Circuito Brasileiro 2017/18 começou da mesma forma que terminou a última temporada: com Larissa/Talita no lugar mais alto do pódio. Atuais campeãs nacionais, elas venceram a etapa de Campo Grande (MS) neste sábado, largando na frente no Circuito e chegando a 19 vitórias juntas na competição. As adversárias na final foram Maria Elisa e Carol Solberg, derrotadas por 2 sets a 0 (23/21 e 21/17). Na disputa do terceiro lugar, Elize Maia e Taiana bateram Ágatha e Duda também por 2 sets a 0 (23/21 e 21/17). A próxima etapa acontece de 17 a 23 de outubro, em Vitória (ES).

- São três anos de parceria e mais de 30 títulos juntas contando com as etapas do Circuito Mundial. Só tenho a agradecer a Deus e à equipe técnica. Tive um contratempo nesta tarde, passei mal, tomei soro, mas felizmente deu tudo certo. É muito especial ganhar aqui, porque é o estado da Talita - disse Larissa, lembrando da parceira, que é natural de Aquidauana (MS).

Os primeiros pontos foram equilibrados. Com uma bola de fundo de Larissa, a dupla campeã do Circuito Brasileiro do ano passado fez 6 a 4. Maria Elisa e Carol não se entregaram. Após empatarem o duelo, elas conseguiram a virada, chegando a abrir 11 a 9. Só que Larissa e Talita voltaram a equilibrar a partida, deixando o final do set imprevisível. Melhor para os campeãs do Circuito Mundial, que foram mais eficientes nos momentos decisivos, vencendo o set por 23 a 21. O ponto da vitória foi marcado por Larissa numa largada no meio da quadra.

O segundo set também começou equilibrado, com leve predominância de Larissa e Talita, que administravam uma vantagem mínima até o 12º ponto. A partir de então, Maria Elisa e Carol passaram a errar constantemente, permitindo que as rivais disparassem no placar. Num bloqueio de Talita em Carol, as campeãs do Circuito Mundial abriram 14 a 8. Em seguida, Maria Elisa ainda errou um ataque, aumentando a diferença para sete pontos. Sem dificuldades, Larissa e Talita apenas administraram o resultado, até fecharem o set em 21 a 17.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Larissa, Evandro e Álvaro Filho vencem prêmios individuais do Circuito Mundial

Larissa, Evandro e Álvaro Filho vencem prêmios individuais do Circuito Mundial de Vôlei de Praia Divulgação/FIVB
Foto: Divulgação / FIVB  

O Brasil conquistou quatro premiações na lista de melhores jogadores da temporada 2017 do Circuito Mundial de vôlei de praia. O paraibano Álvaro Filho foi eleito "esportista do ano", o carioca Evandro foi o dono do melhor saque, e a capixaba Larissa venceu os prêmios de melhor levantadora e jogadora ofensiva do calendário internacional.

Os prêmios foram divulgados nesta terça-feira, pela Federação Internacional de Voleibol (FIVB). A escolha é feita pelos próprios atletas do tour, além de treinadores, árbitros e diretores da entidade. Evandro comemorou receber o prêmio de melhor saque pela terceira temporada consecutiva e comentou sobre o processo de evolução do fundamento.

Leia mais
Isaquias é bronze no Mundial de Canoagem
Incêndio no Velódromo adia Brasileiro de ciclismo de pista

– Fico muito feliz em ser reconhecido pelos outros atletas pela terceira temporada seguida. Mas isso é um mérito de toda a minha equipe, todos que fazem parte da comissão técnica. Eles cobram e orientam, é algo que trabalhamos muito para que seja um ponto de desequilíbrio, então tenho que agradecer demais a eles – comentou Evandro.

O atleta de 2.10m utilizou os saques em um momento especial na temporada. Na final do Campeonato Mundial, anotou três aces seguidos para virar um set. O carioca acredita que o fato de ter anotado 43 aces no maior torneio do ano contribuiu para o prêmio.

– É algo atípico e aquele desempenho se tornou marcante, fico feliz por tudo isso. Só tenho a agradecer ao meu parceiro, por me dar tranquilidade para buscar um bom saque, aos meus familiares, por apoiarem sempre, e minha comissão técnica – encerrou Evandro.

Larissa também se manteve `dona¿ de dois fundamentos nos últimos anos. Ela venceu como melhor levantadora pela décima vez (2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2014, 2016 e 2017), e foi apontada como a melhor jogadora ofensiva pelo terceiro ano seguido (2015, 2016 e 2017). A capixaba é a segunda atleta com mais prêmios individuais na história (20), atrás apenas da norte-americana Kerri Walsh (26).

O paraibano Álvaro Filho foi eleito o `esportista do ano¿, prêmio pelo fair play e comportamento dentro e fora de quadra. Os prêmios de melhores jogadores da temporada foram para a alemã campeã olímpica Laura Ludwig e para o norte-americano Phil Dalhausser.

Somando todos os times o Brasil conquistou 24 medalhas na temporada 2017 do Circuito Mundial, sendo 12 de ouro, cinco de prata e sete de bronze. Larissa/Talita (PA/AL) e Evandro/André Stein (RJ/ES) também foram confirmadas na última segunda como campeões da temporada 2017 do Circuito Mundial.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Evandro e André ficam com a medalha de prata no Finals de vôlei de praia



O Brasil ficou com a medalha de prata no World Tour Finals 2017, encerrado neste domingo (27), em Hamburgo, na Alemanha. Evandro e André Stein (RJ/ES) acabaram superados pelos norte-americanos Dalhausser e Lucena por 2 sets a 0 (21/15, 21/13), em  36 minutos e subiram ao pódio na etapa que reúne as melhores duplas da temporada.

O vice-campeonato em Hamburgo rende uma premiação de 75 mil dólares ao time brasileiro. É a terceira medalha no Circuito Mundial 2017 para Evandro e André, que estão apenas no primeiro ano de parceria. Eles levaram o ouro no Campeonato Mundial, em Viena, além da prata no Major Series de Fort Lauderdale, nos EUA.

"Ficamos tristes porque queríamos a vitória, mas é um prazer termos feito esse caminho até outra final após o Campeonato Mundial. Eles são um time muito bom e consistente, e estivemos abaixo do nosso nível. Nosso saque não funcionou hoje e eles nos colocaram em situações de pressão em muitos momentos. Sabemos que temos muito a crescer e vamos trabalhar muito para isso", analisou André Stein após a final.

A prata da dupla rende ao Brasil a 24ª medalha na temporada 2017 do Circuito Mundial, sendo 12 de ouro, cinco de prata e sete de bronze (veja todas abaixo).

"A temporada foi positiva para nós, especialmente depois de termos conquistado o Campeonato Mundial, mas sabemos que ainda temos muitas coisas para melhorar. Aprenderemos com essa derrota e será motivação para o que ainda virá", disse Evandro.

Evandro é o único atleta do naipe masculino a subir ao pódio do Finals nas três edições já realizadas. Ele soma um bronze (2015) e uma prata (2016) ao lado do antigo parceiro Pedro Solberg, e agora a prata deste final de semana com André Stein.

O próximo desafio das duplas brasileiras acontece na estreia do Circuito Brasileiro de vôlei de praia. A primeira etapa da temporada 17/18 ocorre de 13 a 17 de setembro, em Campo Grande (MS). Evandro e André Stein serão uma das atrações na disputa.

O Jogo

O Brasil começou sacando em Dalhausser e apresentando um bom volume de jogo. Em contra-ataque aproveitado por André, o time verde e amarelo abriu 4 a 2 no placar. Os norte-americanos mantiveram o foco e chegaram ao empate pouco depois: 5 a 5. Após troca de pontos, Evandro e André passaram a ter dificuldades na construção dos lances, em passe e levantamento, e pararam o jogo quando o time dos EUA vencia por 10 a 7.

Mais regulares na virada de bola, os norte-americanos abriram 16 a 12 em ataque de Lucena explorando bloqueio de André. A dupla brasileira acabou oscilando, ainda tentou reduzir a diferença, mas os saques forçados acabaram não sendo efetivos. Administrando a vantagem, Dalhausser e Lucena fecharam o primeiro set por 21 a 15.

O segundo set começou com o Brasil tendo dificuldades para pontuar, com os EUA abrindo 6 a 2 logo no início e forçando pedido de tempo. Dificultando ainda mais, Dalhausser começou a aparecer com frequentes bloqueios. Na primeira parada técnica, o placar apresentava vitória parcial dos norte-americanos por 13 a 8.

O Brasil chegou a melhorar no duelo, mas Dalhausser e Lucena não deixavam a diferença cair, pois praticamente não erravam na virada de bola. A diferença foi sendo mantida e, em contra-ataque de Dalhausser com diagonal potente, a dupla norte-americana fechou a segunda parcial por 21 a 13 e garantiu o título.

Esta é a segunda vez que a cidade de Hamburgo recebe uma etapa do Circuito Mundial. No ano passado a cidade alemã sediou um Major Series com vitória das alemãs Laura Ludwig/Kira Walkenhorst e dos norte-americanos Dalhausser/Lucena.

Os jogos são disputados no Am Rothenbaum, estádio de tênis que se transforma em arena de vôlei de praia. O World Tour Finals dará 100 mil dólares aos times campeões de cada naipe, mas não conta pontos ao ranking.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Brasil garante 4 duplas no torneio que encerra temporada do vôlei de praia

A Federação Internacional de Voleibol (FIVB) anunciou nesta terça-feira as oito duplas em cada naipe que se classificaram para a disputa do World Tour Finals, competição que reúne as melhores duplas da temporada do vôlei de praia. E o Brasil terá dois representantes em cada uma das chaves do evento que encerra a temporada.

Neste ano, o torneio será disputado entre 23 e 27 de agosto em Hamburgo, na Alemanha. O Brasil vai contar com Evandro/André, que foram campeões mundiais no último fim de semana, e Alvaro Filho/Saymon, como os representantes do País na chave masculina.

Os austríacos Doppler e Horst, vice-campeões mundiais, e os russos Krasilnikov e Liamin, que foram bronze em Viena, também vão participar do torneio em Hamburgo. Nicolai e Lupo, da Itália, Kantor e Losiak, da Polônia, Gaviria e Herrera, da Espanha, e Dalhausser e Lucena, dos Estados Unidos, completam a relação dos classificados ao evento masculino.

Na chave feminina, o Brasil será representado por Talita e Larissa, medalhistas de bronze no Mundial de Vôlei de Praia, e Agatha e Duda. Laboureur/Sude, da Alemanha, Pavan/Humana-Paredes, do Canadá, Heidrich/Vergé-Dépré, da Suíça, Sweat/Summer, dos Estados Unidos, e Hermannova/Slukova e Kolocova/Kvapilova, ambas da República Checa, também estão garantidas no torneio.

A definição das oito duplas classificadas em cada naipe levou em consideração o ranking mundial, com o limite de duas parcerias por país em cada torneio. A FIVB ainda completará as chaves com quatro convites para cada uma das chaves, que contarão com 12 duplas.

No ano passado, os brasileiros Alison e Bruno Schmidt foram campeões da chave masculina do World Tour Finals, assim como em 2015, ano em que o torneio feminino foi vencido por Larissa e Talita.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Alison e Bruno são derrotados por canadenses; Evandro e André avançam

 
Bruno e Alison, durante o Mundial de vôlei de praia
Bruno e Alison, durante o Mundial de vôlei de praia

Um dos principais favoritos à conquista do Mundial de Vôlei de praia, Alison e Bruno acabaram desclassificados nas oitavas de final da competição. Atual campeã olímpica e mundial, a dupla brasileira acabou surpreendida pelos canadenses, Saxton e Schalk, pelo placar de 2 sets a 1, parciais de 21/19, 19/21 e 15/13, e encerraram o sonho do bicampeonato.

A partida ficou marcada pelo grande equilíbrio durante os três sets disputados, porém pode ter sido decidida pela grande quantidade de erros cometidos pela dupla brasileira. No total dos três sets, Alison e Bruno cometeram 14 erros, 6 a mais que os adversários.

Se Alison e Bruno estão fora da competição, outra dupla brasileira conseguiu uma boa vitória e avançam às quartas de final do torneio realizado na Áustria. Evandro e André acabaram demonstrando consistência para um boa e apertada vitória por 2 sets a 0, parciais de 24/22 e 21/19.

Um pouco mais tarde foi a vez de Pedro Solberg e Guro irem para a areia de Vienna em busca de uma vaga às quartas de final do Mundial. Tendo pela frente a dupla espanhol de Herrera e Gavira, os brasileiros acabaram pecando no detalhes e foram eliminados após serem derrotados por 2 sets a 1, parciais de 21/19, 17,21 e 15/13

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Larissa/Talita vence dupla argentina e vai às oitavas de final do Mundial

Larissa/Talita vence dupla argentina e vai às oitavas de final do Mundial

Donas da melhor campanha do Brasil na primeira fase do torneio feminino do Mundial de Viena, Larissa e Talita atropelaram as argentinas Zonta/Gallay nesta quarta-feira. A vitória por 2 sets a 0 (parciais de 21/12 e 21/14) coloca as brasileiras nas oitavas de final. As adversárias serão as suíças Heindrich/ Vergé Depre. Mais cedo, Maria Elisa/Carol e Elize Maia/Taiana também haviam se classificado, garantindo ao menos uma dupla do país nas quartas, uma vez que as mesmas se enfrentam na próxima fase.

As únicas dupla do Brasil que não passaram da segunda fase foi Bárbara Seixas/Fernanda Berti e Ágatha/Duda. Bárbara e Fernanda foram superadas pelas canadenses Sarah Pavan e Melissa Paredes por 2 sets a 0 (parciais de 21/16 e 21/10). Pouco depois, Ágatha e Duda encerram os compromissos brasileiros no dia, perdendo para Hermannova e Slukova, da República Tcheca, por 2 sets a 1 (parciais de 21/16, 19/21 e 16/14).

Larissa e Talita dominaram as argentinas do início ao fim. Com 20 pontos de ataque e dois de bloqueio, as brasileiras contaram ainda com o alto número de erro das rivais, que falharam em 14 lances. Com 15 acertos no jogo, Talita deixou a arena como maior pontuadora do duelo. Larissa pontuou 13 vezes.


Já a partida de Bárbara e Fernanda contra as canadenses começou equilibrada. A partir da metade do período, porém, Sarah Pavan e Melissa Paredes começaram a imprimir um ritmo maior até abrirem 15 a 10. A partir de então, o domínio das canadenses passou a ser amplo, e Paredes fechou o set numa bola colocada: 21 a 16. O segundo set foi bem parecido com o primeiro. Após um relativo equilíbrio no início, Pavan e Paredes dispararam a partir do nono ponto até fazerem 21 a 10.

Ágatha e Duda lutaram muito, mas acabaram eliminadas do Mundial. As tchecas Hermannova e Slukova dominaram o primeiro set, fazendo 21/16. A segunda parcial foi disputada ponto a ponto. No final, as brasileiras acabaram sendo mais precisas, vencendo por 21/19. No tie-break, porém, Ágatha e Duda foram superadas por 16/14. Era o fim da participação de uma das duplas brasileiras com mais resultados expressivos na temporada.

Duplas brasileiras avançam à fase eliminatória de vôlei de praia

 

O Brasil avançou com todas as suas duplas à fase eliminatória do naipe masculino no Campeonato Mundial de vôlei de praia 2017, disputado em Viena, na Áustria. Foram três jogos com times brasileiros nesta quarta-feira (02.08). Alison/Bruno Schmidt (ES/DF) e Pedro Solberg/Guto (RJ) venceram e saíram invictos e em primeiro nas suas chaves, enquanto Álvaro/Saymon (PB/MS) foram derrotados, mas passaram em segundo no grupo.

A fase eliminatória começa nesta quinta-feira (03.08), com os seguintes confrontos: Álvaro/Saymon encara os holandeses Varenhorst/Van Garderen; Pedro Solberg/Guto duela contra os austríacos Ermacora/Pristauz; Alison/Bruno joga contra os letões Tocs/Finsters.

Na última terça-feira, Evandro e André Stein (RJ/ES) já haviam confirmado classificação e primeiro lugar no grupo, mas eles aguardam sorteio de uma das quatro duplas vencedora da rodada lucky loser, que acontece ainda nesta quarta-feira.

Alison e Bruno Schmidt abriram o dia para as duplas brasileiras do naipe masculino. Os campeões olímpicos venceram os primos chilenos Marco e Esteban Grimalt, comandados pelo técnico brasileiro Eduardo Garrido. Vitória por 2 sets a 0 (21/14, 21/13), em 29 minutos, no grupo E. Destaque para atuação de Alison 'Mamute', que anotou 15 pontos de ataque, cinco de bloqueio e um ace, sendo maior pontuador do duelo.

"Este é um ano para ter paciência, existem muitos times que estão chegando fortes e querem nosso lugar. Nós precisamos equilibrar tudo e nos mantermos fortes e inteligentes. Para nós, essa partida era a mais importante do campeonato. Mas amanhã nós teremos outro duelo importantíssimo. Não temos que pensar nas outras equipes, temos apenas que seguirmos passo a passo, dando nosso melhor", disse Bruno Schmidt.

Pedro Solberg e Guto também venceram e garantiram a liderança do grupo H. Os cariocas superaram os norte-americanos Brunner e Patterson por 2 sets a 1 (16/21, 21/17, 15/7), em 50 minutos de duração.  Guto foi o maior pontuador do confronto, com 24 pontos de ataque.

"Estou feliz que demos a volta por cima, nos recuperamos e vencemos. Casey é um dos melhores jogadores do mundo. Eu estou muito satisfeito e ansioso para nossa próxima rodada. Nós vamos estar pontos", declarou Pedro Solberg.

Quem sofreu tropeço na disputa pelo primeiro lugar do grupo A foi Álvaro Filho e Saymon, que acabaram superados pelos cubanos Nivaldo Diaz e Gonzalez por 2 sets a 1 (21/17, 15/21, 10/15), em 45 minutos. Saymon foi o maior pontuador do duelo, com 15 pontos de ataque, um ponto de saque e um bloqueio, mas não conseguiu a vitória.

"Começamos bem, mas os cubanos mudaram a tática e funcionou. A fase eliminatória começa amanhã e vamos pensar nela, queríamos ganhar, claro, mas sabemos que começa um novo tipo de competição, zera tudo. São dois jogadores habilidosos, com entrosamento. Vamos estudar e nos preparar para a rodada seguinte", disse Alvinho.

A arena central da etapa, com capacidade para 10 mil pessoas, fica em uma 'ilha' no Rio Danúbio, que cruza a capital austríaca. O Campeonato Mundial 2017 contará com duplas de 40 países jogando um total de 216 jogos em nove dias.

O Campeonato Mundial é o principal torneio da temporada, com uma premiação total de 1 milhão de dólares (500 mil para cada naipe), e 1.600 pontos aos campeões no ranking geral. O Brasil é o maior vencedor da competição bianual, tendo conquistado seis títulos entre os homens e outros cinco entre as mulheres.